Negócios

Growth Hacking: o que é e como aplicá-lo nos negócios?

por Mariana Gomes | 5 Fevereiro, 2020

Growth Hacking é a razão pela qual cada vez mais empresas apresentam taxas de crescimento muito significativas, de ano para ano.

 

Implementado por Sean Ellis, em 2010, o Growth Hacking é um termo que define o marketing orientado a experiências. O principal objetivo é encontrar oportunidades, com vista em resultados rápidos para o crescimento da empresa.

 

O que é Growth Hacking?

 

O termo pode ser traduzido para “estratégia de crescimento”. Aplicado no marketing, este conceito baseia-se em encontrar oportunidades ou aberturas (hacks) para o sucesso, criando estratégias específicas, com vista em resultados rápidos para o crescimento (growth) da empresa. O Growth Hacking pode, assim, ser entendido como a prática de encontrar “gatilhos” que promovem o crescimento acelerado.

 

O Growth Hacking é uma forma mais científica de abordar o marketing e o crescimento empresarial, por ajudar a comprovar hipóteses de forma rápida e, assim, criar resultados de forma mais acelerada.

 

Este conceito tem ganho muita relevância ao longo dos últimos anos. A razão é óbvia: todas as empresas querem crescer rapidamente. No que respeita a startups, muitas vezes têm de ser usados métodos analíticos, criativos e inovadores para fazer crescer exponencialmente a base de clientes de uma empresa. Esta é a finalidade do Growth Hacking.

 

Tendo em conta que as startups não têm os recursos necessários para aplicar em grandes estratégias de marketing, precisam de encontrar formas mais económicas de se promoverem. O que a maioria das startups tem é um produto escalável. E à medida que o produto se desenvolve, novas formas e estratégias de promoção vão aparecendo.

 

O papel do Growth Hacker

 

Geralmente, os growth hackers são profissionais de marketing. Além do conhecimento nesta área, é fundamental que o growth hacker entenda processos, tenha conhecimentos tecnológicos e que compreenda a psicologia do consumidor e a metodologia da experimentação. 

 

De forma semelhante a um hacker – que encontra e explora falhas de segurança –, o growth hacker é a pessoa que encontra essas “falhas” ou aberturas para criar estratégias de crescimento e fazer crescer os resultados da empresa. É essencial, para estes profissionais, saber como os consumidores pensam, como são motivados e como se movimentam ao longo do funil de vendas.

 

Como aplicar o Growth Hacking nos negócios?

 

Os processos e estratégias são moldados a cada empresa, mas existe uma base para aplicar o Growth Hacking em qualquer negócio.

 

Funil do Growth Hacking

 

Funciona de forma semelhante ao funil de vendas e foi criado por Dave McClure, apresentando-se em 5 fases:

 

  1. Aquisição: dar a conhecer o produto/serviço e conquistar novos clientes;
  2. Ativação: oferecer uma primeira experiência satisfatória;
  3. Retenção: garantir que os clientes estão satisfeitos para que continuem a usar o seu produto/serviço;
  4. Receita: o lucro alcançado pela empresa
  5. Referrals: fazer com que os clientes recomendem ou falem do seu produto/serviço a outras pessoas.

Cada ação de Growth Hacking é pensada para otimizar uma das fases do funil, sendo identificadas quais as fases que apresentam os problemas mais urgentes a serem resolvidos.

 

  1. Desenvolver ideias

Como na estruturação de qualquer negócio, o primeiro passo para implementar o Growth Hacking é a criação e desenvolvimento de ideias. Estas ideias vão impulsionar as estratégias no funil de Growth Hacking.

 

  1. Procurar feedback

É provável que a primeira ideia não seja a solução para o crescimento da empresa. As melhores ideias surgem, muitas vezes, com a contribuição de outras pessoas. Realize uma reunião de brainstorming e reúna ideias, agrupando-as conforme a fase do funil que pretende causar impacto.

 

  1. Selecionar as ideias

É fundamental priorizar as ideias que respondem aos objetivos que a empresa quer atingir, conforme a fase do funil. Por exemplo: foque-se na aquisição de clientes, caso as vendas estejam baixas. Criar estratégias para esta fase será mais relevante e prioritário em relação à fase de retenção.

 

Ao mesmo tempo, tenha em atenção os custos, recursos, probabilidade de sucesso e o impacto que cada ideia terá na empresa.

 

  1. Testar as ideias

É nesta fase de experimentar o sucesso e aplicabilidade de uma ideia que pode torná-la uma hipótese. O objetivo do Growth Hacking é comprovar, de forma rápida, a hipótese testada.

 

Ao utilizar um Teste A/B para testar um novo título ou novos botões numa Landing Page, é possível monitorizar se o número de visitas à LP garante que o tamanho mínimo da amostra será atingido. Isto permite perceber se as amostras estão bem distribuídas entre o grupo A e B. Além disso, é possível saber se a taxa de conversão, resultado do novo título ou botões, está a crescer.

 

  1. Analisar resultados

Depois de terminar a fase de teste, é essencial perceber se a hipótese foi comprovada. Nesta fase terá de analisar os resultados de forma minuciosa, para perceber que métricas sofreram impactos com a hipótese.

 

Jasmin: como acelerar o crescimento do seu negócio?

 

Para que se possa focar no negócio, priorizar ideias e criar estratégias com vista no seu crescimento, a tecnologia é o melhor aliado para simplificar processos.

 

Os processos administrativos são uma das são uma das partes centrais e essenciais para o funcionamento do negócio.

 

A sua automatização permite-lhe aumentar a produtividade e sustentabilidade do negócio. A solução é a aposta num software de gestão, que o ajudará a poupar tempo para se focar no crescimento do seu projeto.  

 

Um software de gestão como o Jasmin, 100% cloud, permite-lhe trabalhar em qualquer lugar. Com uma gestão completa e integrada do negócio, é mais fácil apostar no seu crescimento. Além disso, o Jasmin é gratuito para quem está a começar. Experimente o Jasmin Express gratuitamente e faça o seu negócio crescer significativamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais artigos