Negócios

Planeamento e Orçamento de Obras: as dicas essenciais

por Mariana Gomes | 18 Junho, 2020

O termo “construção” não denota apenas para atividades físicas que envolvem mão de obra, materiais e máquinas. Abrange também todo o conjunto de atividades, desde o planeamento à realização de um orçamento de obras.

 

Este planeamento assenta no processo específico da gestão da construção, que passa pela definição da estrutura até à encomenda de materiais e gestão de recursos humanos. Tudo isto entra no orçamento de obras.

 

Não importa quão grande ou pequeno, qualquer projeto de construção precisa de começar com planeamento e orçamento de obras para que seja possível analisar a viabilidade do projeto, evitar, por exemplo, gastos em excesso e garantir a finalização dentro dos prazos estipulados.

 

Todos estes aspetos podem ser agilizados e simplificados com recurso às ferramentas adequadas e a transformação digital já chegou aos negócios com a introdução do conceito “Construção 4.0”, no qual a tecnologia é o maior aliado no planeamento de obras para o sucesso garantido.

 

- Construção 4.0: a nova realidade com o digital, a IoT e a cloud.

 

Orçamento de obras: como gerir?

 

Trata-se, no fundo, da estimativa do valor envolvente no projeto de construção. Nesta fase de planeamento do projeto, são considerados, não só os custos com material, mas com a contratação de mão de obra especializada, logística no local da obra, equipamentos, impostos e encargos.

 

É importante lembrar, de forma a simplificar o processo envolvente ao orçamento de obras, que os custos podem ser divididos em duas categorias: custos diretos e custos indiretos.

 

Os custos diretos dizem respeito a todas as despesas que incidem diretamente na construção: compra de materiais, mão de obra ou aluguer de equipamentos.

 

Por outro lado, os custos indiretos dizem respeito a todas as despesas relacionadas com a obra, mas não aplicadas diretamente na construção. Isto envolve, por exemplo, taxas associadas à água e energia, seguros, entre outras despesas.

 

O orçamento de obras representa, portanto, uma das etapas mais importantes do processo de obra, tendo em conta que é através deste orçamento que é possível determinar qual a complexidade do projeto e como serão investidos os recursos de obra.

 

No entanto existem erros comuns na gestão de obras, que influenciam a qualidade da construção e que podem ser evitados:

 

Má gestão de tempo

 

É o inimigo número um na gestão de obras. O impacto de um atraso na obra é relativamente alto, uma vez que envolve custos extra com recursos materiais ou mão de obra, pondo em causa o orçamento inicial.

 

Falta de controlo das finanças

 

A falta de controlo e acompanhamento de custos reflete-se em riscos associados também ao orçamento da obra.

 

Desperdício de materiais

 

A logística e armazenamento de materiais para a construção também fazem parte da gestão de um projeto de obra. Este controlo permite evitar desperdícios e manter os gastos dentro do previsto no orçamento.

 

 

Dicas essenciais o planeamento e orçamento de obras

 

  1. Definir o objetivo da construção

 

O planeamento e orçamento de obras devem estar alinhados com o objetivo principal do cliente. Estes dois aspetos da gestão de construção estão intimamente ligados e uma falha num deles reflete-se no outro.

 

Nesta fase é fundamental considerar os custos da obra relacionados com os materiais e mão de obra, não desviando o foco do orçamento acordado. Sem um objetivo definido, torna-se impossível definir um orçamento de obras.

 

Além disso, a estruturação e análise de um objetivo específico conduz à possibilidade de planear as ferramentas necessárias na obra e outros aspetos secundários que também influenciam o orçamento de obras.

 

  1. Fazer uma estruturação de necessidades

 

Outro erro comum no planeamento de um projeto é a falta de uma lista de atividades e tarefas que deverão ser realizadas com uma linha cronológica definida. É, por isso, importante ter um objetivo definido para que seja possível pensar em todas as necessidades associadas à obra.

 

Esta estruturação evita riscos como o prolongamento do tempo da obra e uma variação indesejada de custos com mão de obra e recursos materiais.

 

Com todas as necessidades definidas, é possível então identificar os materiais, ferramentas e mão de obra necessária. Isto permite ter uma estimativa dos gastos globais do processo.

 

  1. Definir um orçamento bem detalhado

O planeamento financeiro é uma das etapas mais importantes de um projeto de construção para garantir uma gestão de obras eficiente.

 

Ao definir com clareza os limites financeiros impostos, garante o total controlo da obra e do orçamento planeado.

 

É fundamental ter com conta os serviços necessários, a sua duração e o custo de cada etapa para evitar gastos extra com mão de obra ou materiais desnecessários.

 

É nesta fase que se torna possível ter uma noção global e real dos gastos previstos e dos aspetos que permitem reduzir custos.

 

  1. Monitorizar os dados constantemente

A quantidade de dados disponíveis atualmente é o que distingue a eficiência de uma obra em comparação com, por exemplo, há 20 anos. O uso de tecnologia permite acompanhar de perto todas as métricas importantes na execução do processo de construção, incluindo a gestão de materiais ou a gestão financeira.

 

Desde software de gestão que permite acompanhar os aspetos administrativos ou mesmo controlar o stock, até a tecnologias disruptivas, como a Inteligência Artificial, Rôbos ou Drones que auxiliam no controlo em tempo real da obra.

 

Tudo isto permite ter um controlo global e evitar erros que se refletem no atraso da obra e, consequentemente, no orçamento proposto.

 

Como um software de gestão ajuda no planeamento e orçamento de obras?

 

No arranque de um projeto, são muitas as variáveis que precisam de ser analisadas para garantir eficiência e cumprimento do objetivo proposto.

 

Neste sentido, é fundamental ter em mãos todos os meios e ferramentas que ajudam no acompanhamento de todos os aspetos da gestão. Um software de gestão é essencial para analisar o caminho a ser traçado de forma clara e imediata.

 

O Jasmin é um software de gestão cloud ideal para o setor da construção que permite acompanhar resultados em tempo real, auxiliando na tomada de decisão com dados sempre atualizados.

 

Por ser 100% cloud pode gerir e controlar os aspetos financeiros das empresas do setor da construção em qualquer lado e a qualquer hora. Além disso, esta solução permite controlar os níveis de stock em tempo real e automatizar processos administrativos.

 

Do que está à espera? Experimente grátis o Jasmin Express!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais artigos