Negócios

e-Commerce em Portugal: a (R)evolução do comércio digital

por Mariana Gomes | 25 Junho, 2020

Com a grande maioria dos negócios a sofrer os efeitos da paralisação da economia, fruto do impacto negativo da pandemia da COVID-19, surge a necessidade de consolidação dos negócios no mundo digital e uma reestruturação na forma de pensar o e-Commerce em Portugal.

 

E é nesta perspetiva que a crise pandémica se transforma numa wake-up call para as empresas fazerem a transição do mundo offline para o mundo online.

 

O e-Commerce em Portugal é uma tendência emergente que está a reformular o mercado digital. A verdade é que o isolamento social, imposto pela pandemia do coronavírus, tem levado a que os portugueses passem cada vez mais tempo online. Confinados e privados de socializar, a rotina dos consumidores mudou rapidamente e os hábitos de consumo adaptaram-se ao “novo normal”. E da mesma forma que os comportamentos dos consumidores mudou, também os negócios têm de reinventar estratégias e adaptar os seus modelos para responder às novas necessidades de consumo.

 

E-Commerce em Portugal: uma tendência que chegou para ficar

 

De repente, Portugal – e o mundo – percebeu que a sua evolução tecnológica não ia ao encontro do expectável para o século XXI e que as empresas não têm alternativa digital que lhes permita continuar a sua atividade em época de confinamento. Foi neste contexto que todas as empresas começaram a perceber a importância da presença online. E os próprios consumidores perceberam as vantagens de procurar alternativas para consolidar este novo estilo de vida.

 

Por sua vez, a digitalização e a facilidade de acesso aos meios online elevou o e-Commerce a uma nova dimensão. É certo que a COVID-19 impulsionou a transformação digital de vários setores. A Sociedade Interbancária de Serviços (SIBS) apontou que o valor médio das compras online de serviços e de produtos aumentou cerca de 18% no período do estado de emergência. Simultaneamente, estudos recentes apontam a elevada aceleração na adoção do e-Commerce, numa ordem de grandeza de cinco anos em oito semanas, fruto da pandemia.

 

Passou a desconfiança e entrou a comodidade: de um dia para o outro, assistimos a uma verdadeira transformação digital, onde os portugueses não só aderiram às compras online, como aos pagamentos digitais e às entregas ao domicílio.

 

Marketplace vs loja online: uma opção à medida de cada negócio

 

É importante ter em consideração que o e-Commerce digitaliza integralmente dois processos básicos de negócio: a venda e o atendimento ao cliente. Além de agilizar o trabalho de gestão em muitas frentes, o comércio online impacta a forma de estruturar e pensar as novas modalidades de negócio.

 

É certo que o e-Commerce em Portugal está cada vez mais concorrido. Mas este modelo de negócio vai muito mais além do que vender de forma online: uma estratégia de e-Commerce pode utilizar diversos canais de venda. E na hora de dar o salto do online para o offline, surge a dúvida: marketplace ou loja online?

 

Se por um lado a loja online oferece a liberdade de controlar todos os aspetos de vendas – desde os preços, a imagem da marca, as ofertas, a gestão de pedidos, o stock, a faturação ou a usabilidade do site – , o marketplace oferece maior visibilidade e poder de atração, que funciona como um shopping online.

 

Ao contrário do marketplace, que garante maior rapidez no lançamento do negócio e a externalização da logística, a loja online requer a disponibilização de mais recursos técnicos e económicos.

 

O melhor dos dois mundos

 

A verdade é que uma estratégia de vendas de e-Commerce pode apostar na utilização de vários canais de venda. Porque não utilizar uma loja online e garantir ainda presença no marketplace?

 

Tudo depende dos objetivos estratégicos e dos recursos disponíveis, porque nem todos os negócios têm a capacidade de responder às exigências de cada canal de vendas.

 

Aliar o melhor da loja online com os benefícios do marketplace é uma opção viável, mas é fundamental conhecer as vantagens e desvantagens de cada modalidade de vendas online que vão ao encontro dos objetivos da marca para que se verifique um investimento seguro.

 

Como garantir resultados no e-Commerce em Portugal?

 

Este modelo de negócio é uma porta aberta para o mundo. Mas é fundamental avaliar e apostar em estratégias que impulsionem resultados. E para que uma empresa consiga atrair e reter consumidores até ao fim do processo de compra, deve garantir uma experiência de excelência.

 

Garantir uma boa experiência de compra

 

Tal como nas vendas em espaços físicos, o online é hoje um meio que deve garantir a melhor experiência para os utilizadores, refletindo a eficiência da gestão e resultando no aumento das vendas.

 

Esta boa experiência não passa apenas pela acessibilidade que o digital oferece, mas também pela garantia de segurança, a usabilidade, o tempo de entrega das encomendas, o processo de checkout ou a otimização da política de devolução.

 

A questão da logística e distribuição é um fator que influencia diretamente a experiência do consumidor. É, por isso, fundamental agilizar processos de gestão de inventários e stock, assegurando a rápida capacidade de resposta.

 

Automatizar processos

 

Desde processos logísticos, gestão administrativa até ao atendimento ao cliente, a automatização de processos é o primeiro passo para agilizar a gestão do negócio.

 

Com recursos às ferramentas certas, a gestão administrativa é simplificada e, no campo do atendimento ao cliente, a otimização de processos pode passar pela implementação de uma sequência de boas-vindas, sequência de lead nurturing, sequência de abandono do carrinho de compras ou sequência de recibo (com up-sell/cross sell).

 

Cuidar da gestão da marca

 

Independentemente do meio, a gestão da marca é um aspeto fundamental para o sucesso do e-Commerce em Portugal. Este processo passa pela implementação de estratégias de comunicação e atração que garantam coerência na gestão da marca num meio tão dinâmico como o digital.

 

No fundo, esta gestão passa pelo cuidado com a personalização, a imagem e o tom de comunicação, características que refletem a oferta de valor da marca.

 

Apostar em diversos canais de venda e garantir uma gestão integrada

 

Com a facilidade de acesso à internet e a dispositivos móveis, é hoje fundamental estar presente, não só no meio online, mas em múltiplos canais. Cada vez mais, o mercado digital exige esta presença multichannel. E hoje é já possível integrar toda a informação numa única plataforma, o que possibilita a que a gestão do negócio deixe de ser um desafio e passe a ser uma oportunidade de crescimento.

 

A aposta numa solução que garanta uma gestão integrada de todos os canais de venda num único local, como é o caso do Jasmin Software, é crucial para o sucesso do negócio.

 

O Jasmin é um software de gestão que não só garante uma poupança de tempo significativa, como automatiza todos os processos do e-Commerce, desde a faturação à gestão de stock. Esta visão global do negócio oferece a oportunidade de melhorar resultados com decisões estratégicas baseadas em dados fidedignos.

 

Num único backoffice é possível integrar as informações de todas as plataformas e-commerce e poupar tempo na análise de dados. Além disso, pode dar o primeiro passo neste modelo de negócio sem qualquer custo: o Jasmin é grátis nos primeiros seis meses ou até atingir 30 mil euros de faturação.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais artigos