Negócios

Guia para abrir uma empresa: do financiamento ao início da atividade

por Mariana Pimentel Gomes | 4 Agosto, 2021

Num país que se destaca pelo incrível ambiente de atração de empreendedores do mundo inteiro, abrir uma empresa em Portugal vai depender especialmente do nível de preparação que terá para começar um negócio.

 

Ter uma ideia de negócio é o primeiro passo para se tornar um empreendedor. Quer seja uma ideia totalmente inovadora, quer se trate de um produto ou serviço já existente, o mais importante é ser criativo, realista e certificar-se de que a ideia é viável e que está de acordo com as necessidades do mercado. Depois disso, o importante é começar. Como?

 

Passos para abrir uma empresa

 

1.      Planear o negócio

 

Numa primeira fase, saber quais os passos a dar para que os objetivos sejam alcançados é uma das questões que o planeamento do negócio pode ajudar a responder. Com um planeamento bem estruturado e pensado, os riscos e as incertezas serão reduzidas ao máximo.

 

De forma a transformar as suas ideias num negócio sustentável e lucrativo, é essencial que conheça com detalhe o mercado a explorar, os produtos ou serviços a comercializar, a concorrência, os preços praticados e as estratégias de negócio.

 

Nesta etapa, deve questionar-se sobre:

 

  • Qual o objetivo do seu negócio?
  • Qual é o público-alvo e como pode conquistá-lo?
  • Em que medida a sua ideia se diferencia da concorrência?
  • É possível obter lucros?

Criar um modelo de negócio

 

Transformar uma boa ideia num negócio rentável depende do desenho de um modelo de negócio coerente e estruturado. Este modelo permite perceber como será gerada a receita, através de um documento sucinto, que define a proposta de valor e as características diferenciadoras do produto ou serviço, os segmentos de clientes, a estratégia de mercado, os canais de distribuição, a relação com os clientes, a estrutura de custos, as atividades, parceiros e os recursos chave.

 

Definir um plano de negócio

 

Depois de elaborado o modelo de negócio, deve ser criado o plano de negócio. Este plano serve para descrever os objetivos e os passos que devem ser dados. Trata-se de um documento com um nível de detalhe superior ao modelo de negócio.  

 

O plano de negócio é o maior alicerce para o desenvolvimento do seu negócio. Sem este plano corre o risco de fazer investimentos que não têm viabilidade económica.

 

2.      Financiamentos e apoios

 

Os apoios e as opções de financiamento são instrumentos essenciais para o tecido empresarial. Saber onde conseguir o financiamento para o investimento para abrir uma empresa é um dos principais problemas que surge a todos os que não possuem a totalidade do capital necessário.

 

Existem inúmeras opções de financiamentos que pode explorar. No Portal do Financiamento encontra, agregadas num local único, diversas opções de financiamento com apoio público, direcionado em particular às PME, para as diversas fases da sua atividade e de investimento.

 

Mas vamos por partes, estes são alguns financiamentos que pode obter:

 

Capital de Risco e Business Angels

 

O Capital de Risco é uma forma de financiamento que recorre a capitais próprios, por um período temporário, proporcionando às empresas meios financeiros estáveis para o desenvolvimento das suas estratégias de crescimento. 

 

E com o objetivo de disponibilizar os meios financeiros, técnicos e de mentoria necessários para o desenvolvimento e implementação de estratégias de inovação, de crescimento e de internacionalização, os Business Angels investem uma pequena parte da sua fortuna ou poupança em projetos inovadores ao nível de processos, produtos, organização ou marketing.

 

Os beneficiários são as Pequenas e Médias Empresas que se encontrem sedeadas em território nacional.

 

StartUP Voucher

 

O StartUP Voucher é uma das medidas da StartUP Portugal - Estratégia Nacional para o Empreendedorismo e tem como objetivo dinamizar o desenvolvimento de projetos empresariais que se encontrem em fase de ideia, promovidos por jovens com idade entre os 18 e os 35 anos, através de diversos instrumentos de apoio disponibilizados ao longo de um período de até 12 meses de preparação do projeto empresarial.

 

Fundo de CoInvestimento

 

O objetivo é promover o reforço dos capitais próprios de empresas inovadoras, nas fases de arranque. As empresas beneficiárias são as PME cujos projetos se desenvolvam nas Regiões Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve.

 

Linha de Crédito para Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego - "Invest + e Microinvest"

 

Apoiar desempregados, jovens à procura do primeiro emprego e trabalhadores independentes com baixos rendimentos, na criação da sua própria empresa é o objetivo do Invest + e do Microinvest. Estes apoios destinam-se a empresas privadas e visam o financiamento de projetos para criação de empresas ou aquisição de capital social de empresa pré-existente por aumento do capital social.

 

3.      Escolher o tipo de empresa

 

Antes de mais, se pretende abrir uma empresa, é bom saber quais são as suas opções. Existem vários tipos de empresa, mas o seu processo de constituição é muito simples e pouco burocrático.

 

Singular

 

  • Empresário em Nome Individual– não lhe é exigido nenhum capital social mínimo para iniciar uma atividade.
  • Sociedade Unipessoal por Quotas– tem apenas um sócio que possui a totalidade do capital e tem total controlo do negócio.
  • Estabelecimento Individual de Responsabilidade Limitada– possui uma única pessoa singular como titular e existe uma separação entre o património deste e o da empresa.

 

Empresa Coletiva

 

  • Sociedade por Quotas– possui um número mínimo de dois sócios com responsabilidade limitada e o património da sociedade responde pelas dívidas da mesma.
  • Sociedade Anónima– é usualmente constituída por cinco sócios, denominados de acionistas.
  • Sociedade em nome Coletivo– possui um número mínimo de dois sócios cuja responsabilidade inclui o valor das suas entradas e os bens que incorporam o seu património pessoal.
  • Sociedade em comandita
  • Cooperativa
  • Associação

4.      Abrir uma empresa

 

Constituir a empresa online

 

A Empresa Online permite criar sociedades unipessoais por quotas, por quotas e anónimas, com recurso a um certificado digital, como o Cartão de Cidadão.

 

Constituir a empresa na hora

 

Nos balcões Empresa na Hora é possível constituir uma sociedade unipessoal, por quotas ou anónima. Basta que os sócios se façam acompanhar de todos os documentos necessários. Em pouco menos de uma hora é possível dar seguimento a todos os procedimentos necessários à constituição da empresa num só balcão.

 

Constituir a empresa de forma tradicional

 

Trata-se de um processo mais moroso. A criação da empresa por este método implica uma série de passos em diferentes Entidades e em momentos distintos:

 

  • O pedido do Certificado de Admissibilidade
  • O depósito do capital social da empresa
  • A preparação do pacto ou ato constitutivo de sociedade
  • A entrega da declaração de início de atividade
  • O registo comercial
  • A inscrição na Segurança Social.

Quanto custa abrir uma empresa em Portugal?

 

Estes são os principais custos associados à abertura de uma empresa:

 

  • Custo do registo através da Empresa na Hora: 360 euros. As empresas ligadas ao desenvolvimento tecnológico pagam um valor ligeiramente inferior - 300€.
  • Certificado de Admissibilidade para a criação da empresa: 70 euros, pedido normal ou 150 euros para pedidos urgentes;
  • Sociedades com bens móveis: 30 euros por cada bem;
  • Entradas de imóveis ou participações sociais que tenham de ser registadas: 50 euros por imóvel ou quota;

Além destes custos, existem impostos e despesas fixas mensais que devem ser consideradas na hora de abrir uma empresa:

 

  • IRC;
  • Imposto municipal;
  • IVA;
  • Taxa Social Única (desconto para segurança social dos colaboradores);
  • Valores de arrendamento de imóveis;
  • Energia elétrica, água, gás, internet, telefone e seguros;
  • Salários de colaboradores;
  • Despesas com processos de faturação: importa apostar numa solução de faturação que responda aos requisitos do seu negócio. O Jasmin é um software de gestão ideal para empreendedores e novos negócios.

Desde o primeiro dia, o Jasmin ajuda-o simplificar os processos, desde faturar, gerir compras, fornecedores e inventários, controlar as despesas, monitorizar os resultados e cumprir as obrigações fiscais.

 

Experimente a versão gratuita e explore todas as funcionalidades que o Jasmin tem para lhe oferecer!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais artigos