Vai trabalhar a recibos verdes pela primeira vez?

por Isabel Dias | 14 Novembro, 2017 em
Fiscalidade e Contabilidade

Trabalhar a recibos verdes é algo bastante comum entre a comunidade trabalhadora em Portugal. No entanto, existem sempre algumas dores de cabeça para quem o faz pela primeira vez.

 

É necessário cumprir com todos os aspetos legais sob pena de incorrer em alguma contra ordenação. E este seguimento deve ser feito não só no início como também ao longo de toda a atividade.

 

Primeiro passo: iniciar atividade

 

Das duas uma: ou o faz através de uma repartição de finanças ou online, através do portal das finanças.

 

Para efetuar a inscrição numa repartição das finanças, apenas deve levar o seu Cartão de Cidadão e o seu NIB. Não se esqueça de ter presente a atividade profissional que vai exercer e uma previsão do montante que vai auferir mensalmente.

 

Iniciar a atividade nas finanças deve ser feita antes de começar, efetivamente, a trabalhar e a receber por isso.

 

Trabalhar a recibos verdes: o que tem que saber

 

Os trabalhadores independentes também pagam impostos? Esta é uma das questões mais comuns colocadas por quem vai trabalhar a recibos verdes pela primeira vez. A resposta é sim, também pagam impostos e devem estar bem cientes das suas obrigações tributárias principalmente no que diz respeito aos regimes de IVA e IRS.

 

O regime de IVA

 

Caso não obtenha, no ano transato, um rendimento bruto superior a 10 mil euros, nem pratique operações de importação ou exportação, estará isento de cobrar o IVA nos seus recibos.

 

Caso contrário, ou se a sua atividade evoluir e os rendimentos ultrapassem o valor de 10 mil euros por ano, deverá informar as finanças e passar do regime de isenção (que se refere ao artigo 53º) para o regime normal de cobrança deste imposto.

 

O regime de IRS

 

À semelhança do IVA, caso não obtenha no ano transato um rendimento bruto superior a 10 mil euros, está isento de realizar retenção na fonte no que diz respeito ao IRS (art. 101.º-B, n.º1, al. a) e b), do CIRS).

 

Caso contrário, o trabalhador independente poderá pertencer ao regime de tributação de rendimentos simplificado ou ao regime de contabilidade organizada (obrigatório para trabalhadores independentes que obtenham um montante de rendimento anual líquido superior a 200 mil euros).

 

Descontos para a segurança social

 

Boas notícias! No primeiro ano de atividade qualquer trabalhador independente estará isento de descontos.

 

Findado este período, existem novamente duas opções de acordo com a sua realidade profissional:

 

  • Caso possua, para além da sua atividade como trabalhador independente, um contrato por conta de outrem, os descontos ficam a cargo da sua entidade empregadora.

 

  • Se a sua atividade for somente a que consta declarada nos recibos verdes, terá que fazer descontos de acordo com o seu escalão. Caso os seus rendimentos anuais brutos sejam iguais ou inferiores a 6 vezes o indexante dos apoios sociais anuais (2515,32€), estará isento de descontos.

 

Trabalhadores independentes: dicas úteis

 

Trabalhar a recibos verdes, ou seja, ser um trabalhador independente, nem sempre é fácil. Não existindo qualquer tipo de rigidez laboral, é fácil de cair na procrastinação ou até mesmo na desmotivação ou desorganização.

 

Se é um trabalhador por conta própria, deixamos algumas dicas úteis para evitar que qualquer um dos sintomas acima o distraiam do seu objetivo profissional:

 

  • Boa gestão de tempo
  • Equilíbrio entre a vida profissional e a vida pessoal;
  • Definição de macro objetivos (a longo prazo);
  • Definição de micro objetivos (a curto prazo);
  • Utilização de softwares que o ajudem com a burocracia do seu negócio, como a criação de faturas, notas de crédito, gestão orçamental, etc.;
  • Local de trabalho apropriado (não misturar o local onde trabalha com o local onde descansa).

 

 

Fiscalidade e Contabilidade

Conheça a diferença entre fatura e fatura/recibo

por Isabel Dias - há 2 anos

Trabalhar a recibos verdes é algo bastante comum entre a comunidade trabalhadora em Portugal. No entanto, existem sempre algumas dores de cabeça para quem o faz pela primeira vez.   É necessário cumprir com todos os aspetos legais sob pena de incorrer em alguma contra ordenação. E este seguimento deve ser feito não só no […]

Fiscalidade e Contabilidade

O que é o ficheiro SAFT?

por Isabel Dias - há 2 anos

Trabalhar a recibos verdes é algo bastante comum entre a comunidade trabalhadora em Portugal. No entanto, existem sempre algumas dores de cabeça para quem o faz pela primeira vez.   É necessário cumprir com todos os aspetos legais sob pena de incorrer em alguma contra ordenação. E este seguimento deve ser feito não só no […]

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

9 comentários

  1. Boa tarde!
    Queria expor a minha situação, quero trabalhar por conta própria, pelo qual na area das limpezas, vou ter carro gastos em material em gasóleo e pretendo passar faturas todos os meses, já tenho alguns clientes.
    O que me aconselham ?
    Abrir actividade ?
    necessito de contabilista ?
    Obrigada.

  2. Tenho uma duvida trabalho a recibos verdes para uma junta de fregesia onde assinei contrato por um ano .tenho que comprir o contrato ou posso rescidir quando quiser ,tenho que dar os 15 dias de aviso porque nao percebi muito bem se estou a recibos porque assinei contrato obrigado gostava de ser esclarecida

  3. No caso de ter começado a trabalhar com recibos verdes em Julho, quando deverei começar a descontar para a Segurança Social?

  4. Bom dia ja trabalhei a recibos verdes tive ausente 1ano de descontes mas depois comecei a fazer descontes fechei actividade mas agora vou abrir atividade tenho que começar a fazer descontos no primeiro ano ou fico ausente.

  5. Eu Sou Portuguese e Australiana, Vivo na Australia dessert de 1986.
    Se von a Portugal, 3 messes por casa and, e trabalhar por conta propria, Montag Minha agencies imobiliaria . Ganho menos de 10000 por ano.
    Nao Iva
    Nao ira

    E se ganhar Mai’s de 10000

  6. Boa noite.

    Estou com o dilema que é o seguinte; tenho uma filha de 17 anos que ainda estuda, está no 11° ano numa escola profissional de música e instrumentos. Ela conseguiu encontrar um trabalho só para os fins de semana, sábados e domingos o que à posterior poderá também fazer algumas tardes de sexta, sem compromissos por ora, tenho até próxima segunda feira para informar se ela aceita ou não o trabalho. O que se põe é a seguinte pergunta.. será vantajoso abrir lhe atividade como trabalhadora independente a recibos verdes ou esperar que surja trabalho por conta de outrem, sendo que ela vai continuar a estudar. Quais são os prós e contras em abrir atividade, sendo que não sei se ela ficará no dito trabalho e se tal interfira negativamente no futuro profissional dela?. A entidade quer todo o pessoal com recibos verdes, por causa do tempo que poderam necessitar de cada trabalhador e se afixarem os mapas de horários, os funcionários não poderiam exceder esses horários estabelecidos, isto segundo uma responsável me informou, corresponde? O conhecimento que tenho é que a minha filha perderá o abono, só ainda não tenho certezas e isto sendo um trabalho fins de semana e provavelmente durante as férias escolares, se o progenitor dela não terá mais obrigatoriedade de pagar lhe a pensão de Alimentos até então estipulada pelo tribunal aquando o nosso divórcio e estando a ainda menor, a meu cargo, com a progenitora. Se bem que a minha preocupação maior e dúvida, é eu saber como orientar a minha filha da melhor maneira e que favoreça a situação dela como depois um seu futuro primeiro emprego? Se ficará em causa realmente um futuro primeiro emprego dela, o que poderá perder se, agora iniciar uma atividade como prestadora de serviços. Terá direito à isenção do primeiro ano à segurança social? E caso tenha que encerrar a atividade antes de um ano? Repito me se me permite, quais as vantagens e desvantagens?