Gestão Pessoal

Como adaptar as rotinas ao teletrabalho?

por Mariana Pimentel Gomes | 16 Março, 2021

Sair cedo de casa para o escritório, deixar as crianças na escola, comer alguma coisa a correr durante o almoço e chegar a casa tarde são rotinas que já não fazem parte do dia-a-dia da maioria dos profissionais. O distanciamento físico, como estratégia para abrandar a transmissão da COVID-19, acabou por afastar grande parte dos recursos humanos dos locais de trabalho. Hoje, a realidade é diferente: o teletrabalho ganhou um novo significado. Um boa notícia para alguns, mas uma grande dor de cabeça para outros.

 

Mas, independentemente de ter sido uma escolha ou uma obrigação, para quem está em teletrabalho é importante, mais do que nunca, ter rotinas. Precisamos destas rotinas para que a esfera pessoal e a vida profissional não se tornem caóticas. Elas são fundamentais para que o desempenho profissional não fique comprometido.

 

Adaptação ao teletrabalho: as boas práticas para um teletrabalho bem-sucedido

 

Se por um lado estamos a sentir a ansiedade e os receios inerentes à pandemia, por outro estamos a adaptar e a reorganizar as rotinas pessoais e profissionais em função das novas condições de trabalho. Mas por onde começar para ser mais eficiente?

 

Rotinas para começar o dia

 

A verdade é que o segredo não passa apenas pelo cumprimento de horários – horas de pausa ou refeições –, mas sim de continuar a ter os mesmos estímulos a que o corpo está habituado.

 

Por mais tentador que seja responder aos primeiros emails ainda de pijama, tentar não descurar as rotinas que eram, outrora, habituais é a chave para manter a produtividade no teletrabalho. Se costumava ir ao ginásio, nesta altura é importante investir nuns ténis de corrida ou programar um horário para treinar em casa. Se o segredo era tomar café mal entrasse no escritório, o ideal é fazer o mesmo em casa. Tente manter a mesma hora para acordar, vestir – resistindo à tentação de ficar no conforto do pijama – ou para tomar o pequeno-almoço.

 

O objetivo é tentar adaptar as rotinas ao máximo à nova realidade, tendo em conta as circunstâncias.

 

O espaço de trabalho

 

Agora que temos o trabalho e a vida doméstica no mesmo espaço, é possível que já tenha sentido que dorme no escritório ou que o escritório se mudou para a sala. Isto é inevitável, mas há aspetos que podem ser considerados para otimizar a experiência em teletrabalho.

 

  1. Evite mudar de local e intercalar entre a sala, o quarto ou a mesa da cozinha. Para escolher este espaço considere a iluminação e a privacidade. Se não vive sozinho, o barulho será inevitável. Por isso, deve escolher um espaço onde, caso seja preciso, se possa isolar para que o trabalho flua melhor.
  2. Verifique se o espaço de trabalho é ergonómico. Assim, irá, com certeza, conseguir um melhor desempenho e produtividade. Trabalhar num sofá ou na cama pode parecer confortável, mas fazê-lo durante um longo período de tempo pode provocar lesões.

A importância das pausas

 

Quando se trabalha em casa é mais fácil perder a noção das horas. Mas as pausas ao longo do dia são fundamentais – para relaxar, beber um café, lanchar, ir à varanda, fazer um telefonema ou simplesmente sair um pouco do espaço de trabalho.

 

A verdade é que no escritório não estamos 8 horas sentados em frente ao computador e, em casa, é importante manter a mesma rotina. Levante-se a cada 45 minutos e, quando se trata de pausa para almoço, está fora de questão não a fazer ou comer em frente ao computador. Interromper longos períodos de trabalho ajuda a manter a concentração. As pausas são fundamentais, tanto para a saúde física, como para a saúde mental.

 

E se é frequente que se esqueça de fazer pausas, pode ser útil utilizar uma aplicação móvel que acompanhe o tempo que está a trabalhar ou ative um alarme no telemóvel para ajudar a garantir os momentos de pausa.

 

Cumprir o horário de saída

 

Não cumprir o horário de saída é outro problema que pode surgir por estar a trabalhar em casa. É importante perceber – e educar os colegas de trabalho – que não é possível estar 24 horas disponível, sete dias por semana, mesmo estando a cumprir o dever de confinamento. Para o bem da saúde mental (e física), é essencial “desligar” e “recarregar” energias.

 

Evitar distrações

 

Apesar de estarmos no sossego de casa, as distrações não faltam. Seja o vizinho do lado que decidiu fazer obras, seja o cão ou gato que gostam de participar em videochamadas, seja o telemóvel que não para de receber notificações.

 

As pausas são importantes, mas os momentos de concentração também. Tente definir limites, encontrar um espaço em casa onde possa estar mais isolado durante o teu horário de trabalho e aproveitar as pausas para responder a mensagens pessoais ou visitar as redes sociais.

 

Gerir o negócio em qualquer lado, a qualquer hora

 

Não importa só ter em atenção a saúde física e mental, mas a saúde financeira também é fundamental. Especialmente em tempos adversos como o que vivemos – e a trabalhar a partir de casa –, a gestão financeira das empresas pode ser um ponto crítico. Manter um negócio saudável passa, essencialmente, por garantir uma gestão controlada.

 

Com o Jasmin, um software de gestão cloud, não importa se está em casa ou no escritório, pode trabalhar remotamente e de forma autónoma ao mesmo tempo que cumpre as obrigações legais e fiscais.

 

Ao aliar Inteligência Artificial, mecanismos de Machine Learning e funcionar na cloud, o Jasmin é o parceiro que o seu negócio precisa para ultrapassar com sucesso esta fase adversa! Experimente a versão gratuita e trabalhe bem acompanhado onde e quando quiser!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais artigos