Tecnologia

Agricultura 4.0: os desafios da digitalização e da IoT

por Daniel Oliveira | 8 Maio, 2019

O setor da agricultura está aos poucos a mudar. Se até há pouco tempo todo o processo era ainda muito manual e rudimentar, representando uma agricultura tradicional, a tecnologia tem aberto novas portas para um cultivo mais eficiente e com monitorização constante.

A introdução da tecnologia tem impulsionado a agricultura 4.0, um conceito que promete um revolucionar este setor.


O que é a Agricultura 4.0?


A Agricultura 4.0 refere-se a um conjunto de tecnologias digitais integradas e conectadas por meio de sistemas e equipamentos capazes de otimizar a produção agrícola, em todas as suas etapas. Este termo deriva da indústria 4.0 e remete para a digitalização dos processos de produção e captação de dados (clima, solo, entre outros) a partir de dispositivos de IoT.

Na sua base, a Agricultura 4.0 centra-se em 4 aspetos principais:

  • Gestão baseada em dados
  • Produção a partir de novas ferramentas e técnicas
  • Sustentabilidade
  • Profissionalização

 

Vantagens da Agricultura 4.0 para os agricultores


A introdução da tecnologia na produção agrícola fornece aos agricultores ferramentas e informações constantes e em tempo real sobre a produção, o que se reflete em vantagens como:

  • Monitorização de produções agrícolas - Com a utilização de sensores, drones, câmaras e dispositivos de geolocalização, os agricultores conseguem acompanhar em tempo real, a partir de qualquer localização ou dispositivo, o estado atual da colheita.

  • Aumento de produtividade - Conhecendo e acompanhando os diversos fatores de produção, é possível antever pragas e outros problemas, permitindo obter melhores colheitas.

  • Redução de desperdícios - Com a utilização de sistemas autónomos e a georeferenciação, pode-se evitar o replantio de sementes ou a repassagem das máquinas, permitindo otimizar este processo.

  • Redução de custos - Com o aumento da rentabilidade e a diminuição dos desperdícios, os agricultores conseguem reduzir os custos associados a toda a operação.

 

Que tecnologia já encontramos ao serviço da agricultura?


Drones e veículos automatizados


Com os drones é possível fazer voos não tripulados e autónomos sobre as plantações de forma a mapear os terrenos, tirar fotografias de grande qualidade que podem ser usadas posteriormente na análise de doenças, falta de irrigação, monitorização e pulverização de cultivos.
Além dos drones, existem outro tipo de veículos, muitas vezes autónomos, que podem ajudar no tratamento dos campos de cultivo. Equipados com GPS, conseguem ser controlados remotamente e ser programados para atuar em zonas específicas no plantio.


Sistemas de monitorização da produção


Sistemas e plataformas que permitem reunir todos os dados e gerar relatórios e dashboards disponíveis em qualquer parte do mundo e em qualquer dispositivo, que permitem perceber o estado atual, os problemas identificados, os custos associados à plantação e todos os outros indicadores importantes na gestão do trabalho agrícola.


Estufas inteligentes


De forma a tornar as plantações mais eficientes, têm sido desenvolvidas estruturas inteligentes que conseguem medir em tempo real todos os parâmetros essenciais ao desenvolvimento do cultivo e aplicar automaticamente as correções necessárias, evitando assim a supervisão humana constante.


Internet das coisas (IoT)


De forma a acompanhar o estado das plantações, do solo, do clima e de muitos outros fatores com impacto nos resultados, existe uma variedade de sensores que poderão ser integrados com o objetivo de gerar dados importantes para os sistemas de análise da colheita.

 

A importância da internet das coisas na Agricultura 4.0


A Internet das Coisas (IoT) tem a capacidade de transformar o mundo em que vivemos, tornar as indústrias mais eficientes e cidades mais inteligentes. No entanto, a aplicação de tecnologia como a internet das coisas na agricultura pode ter um impacto muito relevante.

Com a população mundial a aumentar, a produção de alimentos terá também que acompanhar este crescimento. Neste processo, o IoT irá representar um papel fundamental, permitindo aumentar a rentabilidade das produções e reduzir o seu desperdício.

Uma das aplicações mais eficazes da IoT na atividade agrícola consiste na instalação, nos campos de cultivo, de sensores que transmitem informação para os dispositivos móveis. Estes sensores recolhem dados como a humidade e temperatura do solo, a radiação solar, precipitação, etc. Desta forma, o agricultor recebe informação detalhada sobre o cultivo que pode ir desde a previsão e relatórios de eventos de rega a previsões meteorológicas, passando por evapotranspiração das culturas, horas de folha molhada, horas de frio, etc.

Com os dados recolhidos pelos sensores, os agricultores podem tomar decisões mais sustentadas e resolver rapidamente problemas que possam estar a surgir com a plantação.

 

A tecnologia como solução para a agricultura no futuro


O relatório Agricultura 4.0 — O Futuro da Tecnologia Agropecuária produzido pela Oliver Wyman destaca 4 grandes preocupações no setor agrário: demografia, escassez de recursos naturais, mudanças climáticas e desperdício de alimentos. Além disso, é ainda apontado que, até 2050, vamos precisar produzir mais 70% do volume de alimentos atual.

Neste sentido, a utilização da tecnologia na agricultura será um fator muito importante para o futuro e que irá permitir aos agricultores suprir as necessidades, pensando sempre num lado mais sustentável e equilibrado.

Complementarmente, a evolução tecnológica leva à modernização e à automatização dos trabalhos administrativas, tornando mais inteligente o tratamento da informação financeira (além da mencionada, informação sobre a produção).

Os agricultores mais instruídos e com conhecimentos das novas tecnologias têm ao seu dispor o Jasmin para modernizar a gestão agrícola. Conheça o Jasmin Express um software de gestão cloud grátis*.


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais artigos